Blog

Canal Xbox Mil Grau é cancelado por racismo e tem nome alterado pela Microsoft

Por Jessica Gonzatto em 4 de junho de 2020 às 19:33

O canal Xbox Mil Grau, cancelado pela comunidade gamer por racismo, foi obrigado a mudar de nome pela Microsoft.

A empresa exigiu que a marca Xbox fosse removida dos canais do então grupo Xbox Mil Grau, por conta de conteúdo extremamente racista e sexista na página.

O conteúdo da conta Mil Grau não reflete nossos valores fundamentais de respeito, diversidade e inclusão. Nós já exigimos a remoção imediata da nossa marca dos seus canais, por meio das empresas de redes sociais. Não temos informações adicionais nesse momento.

Microsoft em uma nota enviada ao portal The Enemy.

As denúncias chegaram ao próprio Phil Spencer, líder da divisão Xbox. Uma nota pública também foi compartilhada pela Xbox Brasil através do Twitter:

Na manhã desta quarta-feira (3), o termo “Xbox” já havia sido retirado de alguns dos usuário do grupo na Twitch e no Twitter.

A ação da Microsoft vem muito tempo atrasada, após a empresa ser alvo de críticas por conta da falta de posicionamento frente aos conteúdos de cunho racista de perfis do então Xbox Mil Grau desde meados de 2018.

O racismo de Henrique Martins e outros do Canal Mil Grau

Nesse último sábado (30), o streamer e administrador do canal Henrique Martins compartilhou uma imagem que associava uma foto dos protestos contra o racismo e violência policial que acontecem por todo os Estados Unidos, motivados pela morte de George Floyd na cidade de Minneapolis, à uma foto de dois astronautas da missão Demo-2 da SpaceX, ocorrida no mesmo dia.

Junto às imagens, um texto escrito “o que pessoas negras estão fazendo hoje” e “o que pessoas brancas estão fazendo hoje”. Martins ainda questionou “Vai dar choro ou não?”, numa posição de afronta

Não só essa imagem como a revolta contra outros casos de discurso de ódio no Canal Mil Grau geraram protestos online e levou usuários a exigirem um posicionamento da Microsoft Brasil sobre o ocorrido.

O perfil de Martins no Twitter até chegou a ser temporariamente suspenso, mas foi liberado logo depois. Ele é conhecido na rede social como XCapim360.

Além disso, nos últimos dias, diversos usuários do Twitter compartilharam uma série de outros trechos de transmissões do então Xbox Mil Grau com conteúdos de cunho racista.

Um exemplo é a fala de um dos participantes do canal em uma live do canal, onde ele diz tem que voltar pra senzala e “nunca deveria ter deixado de ser escravo se é para ser isso aí a cultura dos caras”.

Comunidade mundial protesta contra o canal

Além da Microsoft, a plataforma Twitch Brasil, na qual o grupo faz transmissões e possui selo de verificação, também foi cobrada por usuários de redes sociais a se posicionarem contra o canal.

Vários usuários, como é o caso de @nautiluslink, iniciaram campanhas contra o então Xbox Mil Grau e o racismo “livre” dentro da Twitch:

Seguido da imagem:

A Twitch, então, tirou o canal Mil Grau do ar e divulgou uma postagem em seu perfil no Twitter pedindo que usuários denunciem casos de racismo:

Com mais de 170 mil seguidores no YouTube, o agora chamado XMG é alvo de várias denúncias também no site – inclusive de usuários que estão até traduzindo “tutoriais” de como denunciar as transmissões do grupo para outros idiomas.

Um exemplo é o de @ericarrache:

E do perfil de Daniel Ahmad, analista da Niko Partners:

“Por favor denunciem essa conta de YouTube. Eles já foram banidos pela Twitch e perderam sua parceria comercial com a Xbox.”
Novo logo do canal após cancelamento geral

Se você é usuário do YouTube, também pode contribuir denunciando o canal do XMG.

Fique atualizado

Não perca nossas atualizações e novidades!