Utilizamos cookies para análise e monitoramento de informações para melhorar o site e sua experiência, assim como cookies de publicidade para mostrar anúncios direcionados. Você pode alterar essa escolha a qualquer momento. Leia mais.

Blog

Mineração de Bitcoin: vale a pena mesmo?

Por Daiane em 15 de março de 2021 às 11:47

O Bitcoin bateu o seu recorde de R$ 320 mil, um valor nunca esperado, principalmente pelos gamers, já que ele era usado como um prêmio de consolação para aqueles que perdiam em jogos online. Ironicamente, os últimos lugares se ainda tivessem os valores, hoje teriam recebido mais que os primeiros. Com a expectativa de se tornar rico no futuro, muitos jogadores decidiram investir de forma massiva na mineração de Bitcoin.

Consequentemente, não tardou para que os valores de placas de vídeo aumentassem de forma expressiva, principalmente da série RTX 3000 da Nvidia. Houveram relatos que alguns sites começaram a vender com valores acima de 85% do recomendado.

Mas, ao entender como funciona o mecanismo das criptomoedas, começa a surgir aquela dúvida se realmente vale a pena gastar com a mineração de bitcoin. Quanto mais pessoas estiverem competindo para minerar, mais difícil será decodificar blocos e, consequentemente, mais energia será gasta para menos resultado. Atualmente, o processo feito em casa funciona de forma muito mais burocrática que anos atrás.

Portanto, foi pensando nisso que o MEUPC.NET separou um artigo exclusivo para falar se realmente vale a pena fazer mineração de Bitcoin através da placa de vídeo. Então, se quiser saber mais sobre, basta continuar a leitura conosco!

Mineração de Bitcoin: vale a pena mesmo?

Mineração de Bitcoin em casa

As placas de vídeo de entrada não conseguem realizar sequer 10 mh/s. O MH/S se trata do tempo de processamento que ela demora para decodificar bitcoins. Dessa forma, uma que faz 90 mh/s é muito mais potente. Entretanto, essas opções são muito caras, como é o caso da RTX 3080 que custa mais de R$ 18 mil. As de entrada, além de não conseguirem minerar, ficam horas apenas gastando energia no Overclock para não trazer o retorno desejado.

Sendo assim, os gastos com energia acabam sendo intensos e os resultados não conseguem pagar. Na verdade, acaba se saindo no prejuízo. E o pior: além de gastar muito com a energia, o overclock causa estresse na sua placa de vídeo, fazendo com que ela não possa mais ser utilizada de forma eficaz para jogos. É muito comum que peças usadas para a mineração de bitcoin apresentem riscos e pontilhados nos gráficos.

A mineração de bitcoin não vale mais a pena porque ficou burocrática, não é mais comum há uma década. Atualmente, as únicas opções que valem a pena – mas que ainda possuem altos gastos de energia – são a RTX 3080 e outras derivadas. Entretanto, são caras para aqueles que possuem dinheiro para uma opção de entrada. E, claro, deve-se ter mais de uma para que os resultados sejam satisfatórios. Atualmente, é possível encontrar sítios em que são investidos milhares de dólares para a compra de centenas delas.

O próprio site TechTudo publicou uma matéria em que falava “minerar Bitcoin sai caro, conheça outras alternativas”. Como recomendação, o site usa um próprio aparelho criado para a mineração, muito diferente de uma placa de vídeo. Neste caso, se deseja investir de forma massiva para obter os retornos desejados, essa é uma das melhores alternativas. O aparelho é chamado de Bitcoin Miner e vem chamando mais atenção nos últimos tempos.

Mineração de Bitcoin: vale a pena mesmo?

Mineração de Bitcoin pelo celular

Se já não é recomendado realizar a mineração de Bitcoin através de placas de vídeo, mesmo sendo mais potentes, imagine então um celular! Eles não possuem alto poder de processamento como uma máquina gamer e pode ser extremamente perigoso baixar aplicativos que permitem a mineração. Os gastos, novamente, com energia são enormes e pode esquentar muito as peças, fazendo com que cheguem a queimar.

Há relatos ainda de pessoas que ficam o dia inteiro deixando com que o celular trabalhe somente nisso. Entretanto, não conseguem sequer um centavo do projeto. Caso queira investir de forma profissional sem ter prejuízos e estragar seu smartphone, o ideal é buscar por máquinas usadas somente para essa função. No Brasil, uma Antminer S7, custa em torno de R$ 7.500 e ela consegue entregar uma média de 0,44 Bitcoin por mês.

Mineração de Bitcoin: vale a pena mesmo?

Antminer S7: já está quase inviável

Uma alternativa é gerar a criptomoeda através de Nuvem que pode cobrar alguns valores a mais como uma espécie de “hospedagem”. Pode chegar a custar uma média de U$ 15 todos os meses, um valor pouco acima dos R$ 50.

No ano de 2016, a Antminer conseguia fornecer a faixa de 0,44 bitcoins, isso seria equivalente (ao valor de agora) a R$ 141589,89. Entretanto, vale ressaltar que houveram mudanças nestes aspectos e pode variar o ritmo. O valor da dificuldade pode aumentar – como está ocorrendo agora devido a alta busca pela mineração de Bitcoin – fazendo com que haja uma quebra constante nos lucros. Dessa forma, pode-se dizer que até mesmo as próprias mineradoras de bitcoin já são inviáveis.

Em suma, a mineração de Bitcoin era um processo fácil e rápido há uma década atrás. Mas agora, os níveis de dificuldade aumentaram e se tornou quase inviável, até mesmo para as máquinas desenvolvidas para isso.

Mineração de Bitcoin: vale a pena mesmo?

E então, tem mais alguma dúvida sobre o assunto? Comente com a gente em nosso DISCORD! Não esqueça de ler mais artigos sobre review e tecnologia ao conhecer o nosso blog, clique aqui!

Fique atualizado

Não perca nossas atualizações e novidades!